live:Projeto.anjodepatas

O MOTIVO DO SEU CONTATO?

Devido a grande demanda telefônica para resgates, estamos fazendo o contato inicialmente somente por e-mail.Obrigado pela compreensão.

→Onde estamos localizados, qual é nosso endereço, telefones e e-mail?
Estamos localizados em Viamão/RS - região metropolitana de Porto Alegre. Não publicamos nosso endereço para evitar que mal intencionados abandonem seus animais em nossas portas, coisa que acontece com frequência.
Assim como evitamos de publicar nossos telefones pois os mesmos tocam ininterruptamente pedindo ajuda para resgatar ou mesmo de pessoas que querem se desfazer dos seus animais. Teremos prazer em enviá-lo após o primeiro contato por e-mail. Toda visita é bem-vinda e você poderá agendá-la através do nosso e-mail:
projeto.anjosdepatas@hotmail.com
→Doações
Visite a página COMO AJUDAR para conhecer as diversas maneiras de fazer a sua doação.
→ Apadrinhamento
Visite a página COMO AJUDAR e clique no ítem número 5. Ou então envie um e-mail para: projeto.anjosdepatas@hotmail.com para receber maiores informações.
→ Quero Adotar
Que alegria !! Ficamos felizes por você ter pensado em adotar um cão abandonado e carente. Clique na página ADOTAR ou envie um e-mail para: projeto.anjosdepatas@hotmail.com para termos um primeiro contato.
→ Quero denunciar um caso de maus tratos
1. Investigue
Antes de qualquer atitude, certifique-se de que se trata de um caso de maus tratos (conheça as leis em vigor, abaixo). Colha evidências, testemunhos que comprovem a situação. Sempre que possível, procure conversar com o agressor, salientando que os animais são protegidos por leis. Aja de maneira educada mas objetiva. Tenha em mente que a finalidade é o bem estar do animal.
Leis
- Lei Federal Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, a "Lei dos Crimes Ambientais".
- Decreto Lei Nº 24.645, de 10 de julho de 1934, define maus-tratos aos animais.
2. Denuncie
Pela Constituição de 1998, os animais são tutelados pelo Estado, ao qual cabe a função de protegê-los.
Os atos de abuso e de maus tratos configuram crime ambiental e devem ser comunicados à polícia, que registrará a ocorrência, instaurando inquérito.
A autoridade policial está obrigada a proceder a investigação de fatos que, em tese, configuram crime ambiental.
Como denunciar:
Toda pessoa que testemunhe atentados contra animais pode e DEVE comparecer à delegacia mais próxima e
lavrar um Termo Circunstanciado (TC), espécie de Boletim de Ocorrência (BO), citando o artigo 32 da
Lei Federal de Crimes Ambientais 9.605/98, "Praticar ato de abuso e maus tratos a animais domésticos ou domesticados, silvestres, nativos ou exóticos ".
Caso haja recusa do delegado, cite o artigo 319 do Código Penal, que prevê crime de prevaricação: receber notícia de crime e recusar-se a cumpri-la.
Denúncias por telefone, podem ser feitas pelo "Disque Denúncia":
SUL
RS - 181
SC - 181
PR - 181

SUDESTE
SP - 181
MG - 181
RJ - (21) 2253-1177 / 0300-253-1177 (Petrópolis)

NORDESTE
BA - 3235-000 (Capital) / 181 (Interior)
SE - 181
AL - 0800-2849390 Polícia Civil / (82) 3201-2000 P.M.
PE - (81) 3421-9595 (Capital) / (81) 3719-4545 (interior)
PB - 197
RN - 0800-84-2999
CE - (85) 3488-7877
PI - 0800-280-5013
MA - 3233-5800 (Capital) / 0300-313-5800 (interior)
TO - 0800-63-1190
NORTE
PA - (94) 3346-2250 / 181
AM - 0800-092-0500
RR - 0800-95-1000
AP - 0800-96-8080
AC - 181
RO - 0800-647-1016

CENTRO-OESTE
MT - 197
MS - 147
GO - 197
DF - 197

Se houver demora ou omissão, entre em contato com o Ministério Público ESTADUAL - Procuradoria de Meio
Ambiente e Minorias. Envie uma carta registrada descrevendo a situação do animal, o Distrito Policial
e o nome do delegado que o atendeu. Você também pode enviar fax ou ir pessoalmente ao MP. Não é necessário advogado.
Ministério Público Estadual no Rio Grande do Sul - (51) 3295 1000 ou (51) 3295 8000
Para informações sobre MP de outros estados acesse: www.redegoverno.gov.br
Caso o agressor seja indiciado, ele perderá a condição de réu primário, isto é, terá sua "ficha suja".
O atestado de antecedentes criminais também é usado como documento para ingresso em cargo público e empresas, que exigem saber do passado do interessado na vaga, poderão recusar o candidato à vaga, na evidência de um ato criminoso.
→Trabalho voluntário
O Projeto Anjos de Patas necessita de toda a ajuda possível. Quando mais pessoas engajadas à causa, melhor. Voluntários podem realizar trabalhos em nossa sede, ajudar na divulgação da causa, apresentar-se como ajuda na confecção das artes que precisamos para divulgar nossos pedidos, fotógrafos, enfim, as possibilidades são muitas, bastando que cada um disponibilize algum tempo e seu talento em prol da causa. Para entrar em nosso banco de dados de voluntários, envie um email para: projeto.anjosdepatas@hotmail.com
→ Gostaria de colocar meu animal para adoção
A primeira coisa a se perguntar é: eu realmente não posso ficar com o meu bicho de estimação? Muitas pessoas resolvem se desfazer do animal por problemas que poderiam ter solução. Pense bem, às vezes alguma flexibilidade e disposição para ajustes de sua parte podem evitar dor e sofrimento.
Se o animal tem problemas de comportamento procure alguém que possa ajudá-lo com treinamento ou dica.
Se você não tem recursos procure ao menos conseguir dicas com tutores mais experientes.
Se o animal tem problemas de saúde com os quais você não pode arcar financeiramente, já procurou um veterinário que possa facilitar o pagamento, ou uma clínica universitária que possa ter preços mais em conta?
Lembre-se, os médicos veterinários precisam cobrar por seu trabalho pois são profissionais e este é seu sustento, mas muitos estão dispostos a flexibilizar as condições e conseguir medicamentos mais acessíveis.
Se você vai se mudar não presuma tão facilmente que seu animal não caberá em apartamento ou não será aceito pelo novo proprietário.
Muitos cães de médio/grande porte ficarão mais felizes perto de seus tutores em um apartamento, desde que tenham dois a três passeios diários, do que tendo que se ajustar a novos tutores.
Finalmente: se você realmente concluir que neste momento é impossível ficar com seu animal não o jogue na rua.
É crime e é um ato cruel e degradante. Não o empurre para uma ong pois um abrigo não é o local ideal para um animal viver.
Também não leve seu animal para um Centro de Controle de Zoonoses achando que lá ele será adotado.
As chances que isso possa acontecer são remotas. Na verdade há boas chances de ele sentir muita tristeza e terror antes de ser morto de forma dolorosa.
Se você realmente precisa procurar um novo lar para seu bicho de estimação procure uma boa família entre amigos e conhecidos que poderão protegê-lo e amá-lo.
Tem um cão abandonado na minha rua. O que devo fazer?
Você encontrou um cão abandonado, quer ajudar, mas não tem espaço, condição financeira ou tempo pra cuidar.
Mesmo assim é possível ajudar o animal. A maioria das pessoas encaminha o cão para um abrigo ou ONG, porém deve-se utilizar esta alternativa em último caso pois as ongs já ajudam muitos animais e têm muitos gastos, o que dificulta uma boa manutenção de todos.
O ideal é levá-lo a uma clínica veterinária, checar sua saúde, vermifugá-lo e vaciná-lo.
Posteriormente, caso ele fique um tempo maior com você, pense em esterilizá-lo, evitando assim crias indesejadas e mais abandono.
Procure ajudar você mesmo a encontrar um novo lar para o cachorro abandonado, é muito gratificante salvar uma vida.
Tire fotos, espalhe pela internet, leve-o à feiras de adoção, avise os conhecidos.
Se cada um fizer a sua parte o mundo pode ser um lugar melhor.
→Encontrei um animal atropelado, o que fazer?
Milhões de animais vivem hoje abandonados nas ruas, sujeitos a todos os tipos de infortúnios, incluindo atropelamentos.
Para nós e para qualquer ONG, é impossível resolver este problema e salvar a todos, infelizmente. Possuímos um limite físico de animais que precisa ser respeitado.
Caso ultrapassemos este limite, colocaremos em risco todos os animais que já mantemos, tanto pela superlotação, quanto pelas limitações financeiras.
Por isso, e contando com a sensibilidade de todos, precisamos que todos ajudem e trabalhem em prol deles. Somente assim, o problema será resolvido.
O primeiro passo ao encontrar um animal nesta situação é retirá-lo do local de risco, como o meio da rua, por exemplo. Devido a dor, eles podem eventualmente tornarem-se agressivos, não por maldade, mas porque dói e estão morrendo de medo.
Aproxime-se do animal com cautela, mostre a ele que está ali para ajudá-lo e somente quando ganhar sua confiança, tente removê-lo.
Em seguida, encaminhe-o a uma clínica veterinária. Durante o tratamento, comece a procurar por um adotante, caso não possa ficar com ele.
Convide amigos a ajudar, repartindo despesas e no final, você terá salvo uma vida.

Anjos de patas - Todos direitos reservados